topo

facebook

mais saúde

08-09-2016

Alimentação e Nutrição do Idoso




Nunca é tarde para adotar hábitos saudáveis


São vários os fatores que condicionam a alimentação dos mais idosos: atividade física limitada, comprometimento da dentição, sensação de boca seca que pode dever­-se à medicação, alterações ao nível do gosto e olfato, aumento da sensação de saciedade, diminuição da sensação de sede e da capacidade digestiva, dificuldade em deglutir determinados alimentos ou líquidos, doenças crónicas com aumento das necessidades nutricionais, perda de autonomia, polimedicação.

Outra forte influência são os próprios hábitos, costumes e tradições, muitas vezes difíceis de modificar!

Entre outros, aconselhamos a adotar uma dieta variada; comer apenas o necessário para manter o peso saudável para a sua altura; em caso de dificuldade em mastigar, opte por consistências e/ ou texturas mais adaptadas; consulte­-nos no caso de necessitar de uma dieta especial, sem sal, pobre em gorduras, etc.

Faça 6 refeições ao longo do dia; dedique o tempo necessário a preparar pratos apetecíveis e a fazer a sua refeição; procure comer acompanhado; modere o consumo de sal, açúcar e gordura.

A quantidade de água que se perde através da transpiração, urina, etc. não pode ser superior à ingerida, sob o risco de desidratação; risco este que é maior nos idosos, por exemplo, porque receiam as perdas de urina, o rim não a concentra tão bem, pode haver dificuldade em beber, etc..

Então, beba, no mínimo, 2L de líquidos ao longo do dia, sendo que a água é a bebida ideal, além das infusões, caldos e sumos de fruta sem adição de açúcar.


­Exemplo de distribuição dos 2L de líquidos ao longo do dia.

­Pequeno-
-almoço

   Lanche
manhã

Almoço

Lanche
  tarde

­


Jantar

Ceia


  1 copo Leite

  + Sumo


   1 copo Água

   + Infusão


1 copo Água


   1 copo Leite

   + Infusão


  1 copo Água

  + Sopa


  1 copo Leite


1 copo aproximadamente 200mL




A sua dieta deve conter alimentos de todos os grupos, do seguinte modo:

Frutos Secos

3 a 7 porções/ semana

Azeite

3 a 6 porções/ dia

Manteiga, margarina, pastelaria

Ocasional e moderado

Enchidos e carnes gordas

Ocasional e Moderado

Arroz, pão e massas integrais

4 a 6 porções/ dia

Leguminosas

2 a 4 porções/ semana

Guloseimas, snacks, refrigerantes

Ocasional e Moderado

Leite e derivados

2 a 4 porções/ dia

Peixe

3 a 4 porções/ semana

Carnes magras, aves e ovos

3 a 4 porções de cada/ semana (alternar)

Frutas

≥ 3 porções/ dia*

Verduras e hortaliças

≥ 2 porções/ dia*

Água

4 a 8 porções/ dia


*No total, entre frutas, verduras e hortaliças, deve perfazer 5 porções/ dia.



É muito comum a carência de vitamina D entre a população mais envelhecida: é importante expor a pele do rosto, braços, costas ou pernas ­ SEM PROTETOR SOLAR ­ durante 15min, 3 vezes por semana. E não é eficaz se for através de uma janela de vidro! Se consome alimentos com baixo teor em gordura, procure os que são enriquecidos em vitamina D. Os produtos lácteos são importantes, porque, além de serem ricos em cálcio, a lactose favorece a absorção do mesmo. Por seu lado, o tabaco, o álcool e o excesso de sal favorecem a perda de cálcio ao nível do rim.

Poupar na fatura do supermercado, mas não em valor nutritivo! Como? Por exemplo, procure consumir carnes brancas (frango ou coelho), ou até mesmo, de forma mais económica, lombo de vaca ou porco, porções pobres em gordura; ovos; o peixe pode ser congelado; verduras e hortaliças da época e da região; lácteos com baixo teor em gordura para todas as carteiras.


Com a idade, as defesas tornam­-se mais suscetíveis aos agentes externos, de modo que é necessário reforçar os cuidados de higiene com a preparação das refeições:
● fracione o cozinhado em porções e congele o que não vai consumir de imediato; os recipientes devem ter o tamanho mais ajustado possível à quantidade de alimentos;
● não deixe os alimentos que comprar mais de 2h fora do frigorífico, nem os que cozinhar;
● respeite os prazos de validade;
● cozinhe bem a carne, inclusive o frango;
● descongele os alimentos no frigorífico ou no micro­ondas imediatamente antes de os cozinhar e não à temperatura ambiente;
● aqueça bem a comida;
● evite comer carne, peixe e marisco crus, assim como molhos com ovo cru;
● lave bem as frutas e hortaliças, com água corrente.


Uma vez que as complicações associadas à diabetes podem ser prevenidas com a manutenção de níveis glicémicos normais, e estes alcançados com uma alimentação saudável, recomendamos que, além do anteriormente referido:
● evite estar mais de 3h sem comer;
● procure ingerir a mesma quantidade de alimentos diariamente;

● tome os antidiabéticos mais ou menos à mesma hora todos os dias;
● reparta a quantidade de alimentos ricos em hidratos de carbono (arroz, massa, leguminosas, batatas, e pão) pelas 5 a 6 refeições e de acordo com as tomas de antidiabéticos;
● se necessário, use edulcorantes;
● aumente o consumo de alimentos ricos em fibra (verduras, leguminosas..).
● faça exercício físico de forma regular adequado á sua idade e capacidades e estado físico


Os suplementos completos hiper­proteicos e isocalóricos, com fibra, isentos de sacarose (com açúcares naturalmente presentes), por exemplo, sob a forma de suplemento liquefeito pronto a beber, são indicados para doentes diabéticos ou em situações de hiperglicémia.

A obstipação crónica favorece o aparecimento de hemorróidas e fissuras anais; assim, aconselhamos ainda que:
● não atrase a ida à casa­de­banho por não estar em casa ou porque não é o momento oportuno;
● procure dedicar o tempo necessário para ir à casa­de­banho e crie uma rotina; um momento favorável é após o pequeno­almoço;
● aumente o consumo de fibras, de forma gradual, evitando o excesso de gases ­ opte por fontes de hidratos de carbono integrais; aumente o consumo, sobretudo, de ameixas, citrinos e kiwi.


Em situações de diminuição de apetite, de forma a cobrir as necessidades nutricionais, recomendamos que:
● sempre que possível, não restrinja muito a sua dieta em açúcares, gordura e sal, para que os alimentos sejam mais apetecíveis e calóricos;
● cozinhe com pouca gordura, para facilitar a digestão;
● não adicione água aos alimentos;
● sirva os alimentos mornos;
● considere um serviço de refeições ao domicílio;
● restrinja o consumo de alimentos que produzem gases (bebidas gaseificadas, leguminosas, etc.);
● mantenha uma boa higiene oral, vai apurar o seu sentido do paladar;
● adicione aos seus cozinhados leite em pó, queijo ralado, clara de ovo, frutos secos, molhos, mel, cacao, leite condensado, etc., para aumentar o aporte de nutrientes e energia;
● recorra a suplementos solúveis enriquecidos em proteínas, vitaminas e minerais, preparadas com água, leite ou bebidas alternativas (bebida de soja, bebida de arroz, bebida de aveia, …);
● opte por cremes de cereais para adultos, contendo cálcio, zinco, ferro, vitamina B12 e Vitamina D, consumidos como pequeno­almoço, lanche ou sobremesa, adaptados a situações de disfagia.


Quando há problemas de mastigação e salivação,
● opte por consistências tipo puré, caldo, sorvete, sumo, etc.;
● evite alimentos muito fibrosos, como algumas carnes;
● evite condimentos em excesso;
● tenha em conta que a inclusão de alimentos ácidos (limão, laranja, kiwi) aumenta a salivação;
● faça guisados, adicione molhos e caldos;
● consuma os alimentos mornos;
● finalize a higiene oral com colutórios com flúor ou clorexidina e procure dentífricos específicos;
● assegure­-se que a prótese dentária está bem ajustada.



A dificuldade em engolir ­ disfagia ­ especialmente associada a doentes neurológicos leva a situações perigosas de passagem dos alimentos às vias respiratórias, e a que, com o receio de que tal aconteça, os idosos evitem comer e beber. Para prevenir tal:
● triture os alimentos em puré ­ textura homogénea;
● evite alimentos fibrosos; frutas, verduras e leguminosas com sementes e pele; crocantes e duros; que soltam líquido, como os gomos de laranja;
● obtenha a consistência ideal, tipo iogurte, com espessante instantâneo para alimentos líquidos e semi­sólidos, prevenindo também a desidratação em doentes com disfagia para líquidos; ou com gelatina, MaizenaⓇ ou flocos de batata;
● procure bebidas aromatizadas com textura de gel, prontas a consumir;
● coma sentado, e, no caso de paralisia de um dos lados da face, incline a cabeça para o lado não paralisado para comer.


‹‹ voltar

newsletter

autorizo termos do registo autorizo termos do registo
Mapa do site | FAQ’S |
Compra e Entrega de Medicamentos | Como comprar | Como enviar | Como pagar | Confirmação e Cancelamentos | Devoluções | Política de privacidade | Termos e Condições

CONTACTOS

Rua dos Bombeiros nº50 - 52
4730 - 752 Vila Verde
Portugal

Telefone:
253 353 020

Email:
geral@farmaciafatimamarques.pt

Marques e Marques Healthcare, Lda.
NIF: 513341080

Direção Técnica: Drª Maria Fátima Barreira Marques
Farmácia Fátima Marques © copyright 2022 | Todos os direitos reservados | Livro de reclamações | handmade by brainhouse