topo

facebook

mais saúde

10-07-2015

Saúde ocular: orientações sobre cuidados a ter com os nossos olhos



Quando deve recorrer a uma consulta de Oftalmologia?

Do nascimento aos 3 anos
- Desvio de um ou ambos os olhos
- “Menina do olho” branca
- Sempre que detetada alguma alteração ocular

Outras Idades
- Diminuição da visão ou visão desfocada ao longe
- Diminuição da visão ao perto e/ou necessidade de afastar para ver melhor
- Aparecimento de “moscas” ou pontos pretos móveis na visão
- Aparecimento de flashes ou luzes
- Visão dupla
- Desvios dos olhos
- Perda de um campo de visão e/ou mancha fixa
- Olhos vermelhos e/ou dolorosos
- Após traumatismo ocular
- História familiar de doença ocular
- Diabetes

Deve ser imediatamente observado por um Oftalmologista sempre que:
- Perder ou baixar a visão subitamente
- Tiver um traumatismo ocular
- Dor ou olho vermelho
- Em qualquer alteração ocular de aparecimento súbito


Problemas oftalmológicos mais frequentes
AMBLIOPIA – Olho preguiçoso - baixa visão num ou nos 2 olhos por essa não se ter desenvolvido durante os primeiros anos de vida.
Principais causas: Estrabismo, Erro refractivo, diminuição da transparência dos meios transparentes do olho (ex.: catarata congénita).
O desenvolvimento da visão ocorre até os 6-7 anos de idade. O diagnóstico e tratamento devem ser iniciados antes dessa idade na tentativa de evitar uma baixa visão permanente.

ESTRABISMO - Alteração ocular em que os olhos não estão alinhados, estando desviados para os lados ou para cima ou para baixo.
Pode ser constante ou esporádico (aparecer e desaparecer).
Tratamento: com o uso de óculos de correção ou por correção cirúrgica.
Pseudoestrabismo – nos 1os anos de vida pode aparentar que o bebé apresenta um desvio dos olhos, devido à conformação óssea, nariz mais achatado e prega no canto interno do olho. Desaparece com o crescimento.

ERROS REFRATIVOS: miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia, retinopatia diabética
Dizem respeito a um conjunto de alterações nos quais há uma focagem inadequada das imagens na retina.

MIOPIA - Anomalia visual em que o olho é maior que o normal o que leva a que as imagens sejam focadas à frente da retina.Tem-se uma boa visão de perto, mas uma diminuição da visão para longe.
O diagnóstico é feito habitualmente entre os 8-12 anos. Agrava na adolescência a acompanhar o crescimento rápido, e estabiliza entre os 20 e 40 anos.
Sinais de alerta:
- franze os olhos para ver com nitidez ao longe
- aproxima-se demasiado da televisão
- só reconhece as pessoas na rua quando estas passam perto de si

Tratamento/Correção
- Óculos
- Lentes de contacto
- Cirurgia refrativa

HIPERMETROPIA – anomalia visual em que o olho é menor do que o normal, fazendo com que as imagens sejam focadas atrás da retina. Tem-se uma boa visão de longe, mas uma diminuição da visão para perto, que nos jovens não é evidente por uma elevada capacidade de acomodação, que vai diminuindo com a idade.
.Provoca habitualmente fadiga ocular e até dores de cabeça com o trabalho mais minucioso ou com a leitura, pela exigência aumentada de focagem a que os olhos são solicitados.
Hipermetropias grandes podem ser causa de ambliopia e estrabismo nas crianças.

ASTIGMATISMO - No olho astigmático, a superfície curva anterior do olho, a córnea, não é regular tendo curvaturas diferentes em ângulos diferentes. Causa a distorção das imagens por focar as imagens em zonas diferentes de acordo com o ângulo. A visão é imperfeita quer ao longe quer ao perto.
Pode associar-se a outras anomalias visuais como a miopia, a hipermetropia ou a presbiopia.

Sinais:
- confunde símbolos próximos como o H, o N e o M ou o 8 e o 0.
- combinado com a miopia e a hipermetropia pode sentir cansaço visual ou dores de cabeça.

PRESBIOPIA ou vista cansada - Enquanto se é jovem, a lente natural do olho, o cristalino, é mole e flexível permitindo ao olho a capacidade de focar tanto para longe com para perto.
Após os 40 anos, torna-se mais rígida diminuindo progressivamente a capacidade de focar ao perto.

RETINOPATIA DIABÉTICA. É uma das complicações da Diabetes.
Quando não diagnosticada e tratada a tempo pode levar á cegueira.
A sua gravidade está diretamente relacionada com o controle da Diabetes e valores de glicemia e tensão arterial.
Todo o doente com o diagnóstico de Diabetes deve ser observado em consulta de Oftalmologia 1 vez por ano ou sempre que haja uma baixa da visão

TRATAMENTO: Os erros refrativos podem ser corrigidos com óculos, lentes de contacto ou cirurgia (laser ou lentes intraoculares).

CATARATA : diminuição da transparência da lente natural transparente do olho, o cristalino.
A catarata senil é um processo normal de envelhecimento que começa a dar sinais a partir dos 50-60 anos. Algumas doenças, como a Diabetes podem fazer com que surja mais cedo.
Pode haver catarata após traumatismos oculares, inflamações ou á nascença (catarata congénita).
O tratamento é simples e cirúrgico, e consiste em substituir a lente natural opacificada por uma lente artificial transparente. Na generalidade dos casos não necessita de anestesia geral ou internamento e a recuperação é muito rápida e não incapacitante.

GLAUCOMA - doença dos olhos na qual vai havendo uma progressiva subida da tensão ocular levando a diminuição da visão. Há vários tipos de glaucoma mas o mais frequente é o glaucoma de ângulo aberto.
O aumento da tensão ocular, se não detetado e devidamente tratado, leva à “morte” lenta e progressiva do nervo responsável pela visão (nervo óptico). Estas alterações provocam uma perda da visão, podendo mesmo chegar à cegueira.
O glaucoma só dá sintomas numa fase avançada da doença e as alterações na visão só são sentidas pelo doente quando o nervo ótico já tem lesões graves e irreversíveis daí a importância de fazer o diagnóstico precoce da doença.

DEGENERESCÊNCIA MACULAR (DMRI)
É um processo de envelhecimento com morte celular na Mácula, a região mais importante para a visão fina do olho. Surge a partir dos 60 anos, afeta progressivamente a visão central (capacidade de ver ao longe e ao perto). Não leva á cegueira total visto que a visão periférica está poupada, mas nos casos mais avançados torna impossível a leitura ou atividade de pormenor.
É uma doença sem cura, mas existem tratamentos para algumas fases da doença com o intuito de atrasar ou travar a doença.

Para ter uma visão boa é importante que cultivemos hábitos saudáveis. Listamos 10 hábitos para prevenir doenças oculares e melhorar a saúde ocular.
1. Evite coçar os olhos: As mãos contém muitas impurezas como bactérias, vírus e fungos que podem causar infecções nos olhos. O coçar crônico dos olhos, à longo prazo, pode levar a doenças da córnea como ceratocone em pacientes que tenham predisposição. Também podem aparecer “feridas” nos olhos, chamadas ceratite, principalmente nos usuários de lente de contato.

2. Controle da Glicemia: O excesso de glicose no sangue pode causar problemas não só no corpo como nos olhos também. Alteração da visão e do grau dos óculos quando a glicemia está muito alta são alguns dos sintomas. A retinopatia diabética (doença que afeta os vasos da retina), que no começo não apresenta sintomas pode levar à cegueira se não tratada.

3. Coma mais peixe: O peixe é alimento rico em Ômega 3 e também contém vitaminas A,B,D e E, que são essenciais para saúde ocular, prevenindo doenças oculares como a degeneração macular relacionada a idade.

4. Pratique atividade física: Estar acima do peso, somado a uma má alimentação, podem causar problemas físicos que afetam os olhos, como diabetes e hipertensão.

5. Lave bem os olhos: O acúmulo de maquiagem, poeira e poluição na base dos cílios pode levar a inflamações das pálpebras, causando irritação, olho vermelho e coceira. Tenha o hábito de lavar com Shampoo neutro os cílios e ao redor dos olhos pelo menos 2 vezes ao dia.

6. Pare de fumar: O consumo de cigarro está associado a alguns problemas de visão, como degeneração macular, catarata e danos ao nervo óptico.

7. Cuidado com as lentes de contato: Lavar bem as mãos antes de colocar as lentes, higienizar com produtos específicos, controle da validade e substituição das lentes são hábitos saudáveis para evitar complicações oculares.

8. Lembrar de piscar os olhos: Quando usamos muito computador ou durante uma leitura prolongada piscamos menos do que o necessário, por isso lembre de piscar mais os olhos, a fim de evitar a sensação de olho seco.

9. Proteger contra o Sol: Os raios ultravioleta são muito maléficos tanto para pele como para os olhos. Portanto além do protetor solar devemos proteger os olhos com óculos escuros que contenham bloqueio contra os raios UVA e UVB para evitar doenças como degeneração macular e catarata.

10. Olhar para longe: O uso excessivo da visão para perto pode causar cansaço ocular e visão embaçada. Para evitar esses sintomas, proporcione algumas pausas nas suas atividades ao longo do dia e olhe para longe (6 metros ou mais). Isso fará com que seus olhos relaxem.

‹‹ voltar

newsletter

autorizo termos do registo autorizo termos do registo
Mapa do site | FAQ’S |
Compra e Entrega de Medicamentos | Como comprar | Como enviar | Como pagar | Confirmação e Cancelamentos | Devoluções | Política de privacidade | Termos e Condições

CONTACTOS

Rua dos Bombeiros nº50 - 52
4730 - 752 Vila Verde
Portugal

Telefone:
253 353 020

Email:
geral@farmaciafatimamarques.pt

Marques e Marques Healthcare, Lda.
NIF: 513341080

Direção Técnica: Drª Maria Fátima Barreira Marques
Farmácia Fátima Marques © copyright 2022 | Todos os direitos reservados | Livro de reclamações | handmade by brainhouse